medico-ortopedista-especialista-coluna-goiania

Fraturas da Coluna Vertebral

Fraturas da coluna vertebral: cerca de 85% decorrem da osteoporose

Diariamente a coluna é submetida a esforços contínuos, suportando todo o peso do corpo durante atividades como andar, agachar, correr, dentre outras. Toda essa carga recebida é compartilhada entre as estruturas de sustentação, como discos, vértebras, articulações, ligamentos e musculatura. Quando a pressão recebida pelas vértebras é maior que sua resistência, alguns pontos podem ser fragmentados, provocando fraturas na coluna vertebral.

Em torno de 85% das fraturas da coluna são causadas por osteoporose. A quebra é mais frequente na lombar e na região torácica e, geralmente, afeta idosos. Traumas e tumores também podem causar fraturas. Além disso, fraturas na coluna vertebral podem provocar danos à medula espinha e, ainda, afetar a função dos nervos medulares ou do cérebro.

Qualquer pessoa está sujeita a sofrer com fraturas da coluna vertebral, pois existem diversos fatores de risco que podem enfraquecer as vértebras, como alcoolismo, tabagismo, má alimentação, desnutrição, uso prolongado de alguns medicamentos, dentre eles corticosteroides, anticoagulantes ou anticonvulsivantes, etc.

Neste artigo, conheça um pouco sobre as principais fraturas da coluna, como as fraturas osteoporóticas, e os tratamentos que podem ser utilizados.

Mulheres são a mais afetadas pelas fraturas osteoporóticas

Cerca de 50% das fraturas osteoporóticas ocorrem na coluna vertebral, principalmente na região torácica e lombar, o que pode causar dor incapacitante, alterações neurológicas e deformidades na coluna, que podem ou não serem progressivas. Causada pela osteoporose, doença caracterizada pela diminuição da massa óssea, as fraturas osteoporóticas são mais frequentes em mulheres, devido a alterações hormonais, menopausa, etc.

Fraturas da coluna vertebral causadas por tumor

Tumores também podem provocar fraturas na coluna vertebral – eles crescem dentro ou próximos à coluna e enfraquecem os ossos. Dentre os cânceres que podem causar uma ruptura nas vértebras estão o mieloma múltiplo e o linfoma. A metástase e crescimento de um tumor nos ossos da coluna também podem comprimir a medula espinhal, se a compressão não for tratada em tempo hábil, o paciente pode ficar paralisado e, inclusive, deixar de andar.

Fraturas da coluna provocadas por traumatismos

Indivíduos saudáveis e com ossos fortes também podem sofrer fraturas na coluna vertebral. A ruptura das vértebras neste caso pode afetar qualquer região da coluna e ser decorrentes de acidentes de trânsito, atropelamentos, quedas, mergulho em água rasa, exercícios de alto impacto, etc.

Confira quais são os sintomas das fraturas da coluna vertebral

Os sintomas vão depender da gravidade da lesão e do tipo de fratura. Desse modo, em alguns casos é possível sentir dores leves que não afetam o movimento. Mas se as fraturas na coluna forem críticas, o paciente poderá sofrer com dor intensa, deformidade na coluna, perda de altura, falta de ar, etc.

Também podem surgir lesões neurológicas devido à compressão e estiramento dos nervos. Quando isso ocorre, os principais sintomas são paraplegia ou tetraplegia permanente ou temporária (o paciente deixa de sentir as pernas); formigamento; fraqueza; disfunção da bexiga e do intestino, etc.

O que pode causar fraturas da coluna vertebral?

Como já mencionado, diversos fatores podem provocar fraturas na coluna, como osteoporose, tumores e traumas decorrentes de acidentes ou quedas, por exemplo.

Outras condições que também podem ser fator de risco para o desenvolvimento de fraturas na coluna vertebral são diabetes, hipertireoidismo, doenças reumáticas, uso contínuo de alguns medicamentos, quimioterapia, radioterapia, sedentarismo, dentre outros.

Todas essas enfermidades e hábitos não saudáveis podem contribuir para redução da massa óssea, tornando a coluna mais frágil e suscetível à fratura.

Como é feito o diagnóstico de fraturas da coluna vertebral?

Para fazer o diagnóstico, o ortopedista especialista em Coluna realiza exame físico completo, momento em que testa os reflexos do paciente, por exemplo. O médico também solicita exames adicionais como raio-X, tomografia e ressonância magnética.

Caso a fratura da coluna vertebral esteja relacionada a traumas ou a mesmo a doenças ósseas metastáticas, exames de laboratório ou de imagem específicos podem ser sugeridos pelo ortopedista especialista em Coluna.

Que tratamento o ortopedista especialista em Coluna indica?

Após o diagnóstico, o ortopedista especialista em coluna pode recomendar vários tratamentos no intuito de aliviar a dor, estabilizar e reparar a fratura – tudo dependerá da causa e da gravidade do problema.

Dentre os tratamentos conservadores (sem cirurgia) para fraturas leves e moderadas, o médico pode indicar, por exemplo, o uso de colete ortopédico para estabilizar a coluna; cinta espinhal para limitar os movimentos; fisioterapia; infiltração; medicamentos; etc.

Existem, ainda, terapêuticas minimamente invasivas como vertebroplastia e cifoplastia. Através desses procedimentos, um cimento cirúrgico é injetado na área fraturada com o objetivo de estabilizar a vértebra quebrada e reduzir a dor.

Todavia, se a fratura for grave e provocar instabilidade ou afetar a medula espinhal, o ortopedista especialista em Coluna poderá recomendar tratamento cirúrgico e estabilização da coluna para prevenir possíveis deformidades.

Entre os procedimentos cirúrgicos recomendados estão a artrodese e a cifloplastia com balão – este último é um método minimamente invasivo que pode reparar os ossos da coluna vertebral, bem como reduzir a dor. O procedimento é feito por meio de balões ortopédicos e infusão de cimento.

5 dicas do especialista para prevenir fraturas da coluna

Como foi citado ao longo do texto, as fraturas da coluna vertebral podem ter várias origens, mas a principal é a perda de massa óssea. Diante desse fato, seguem cinco dicas para você manter sua coluna forte e saudável por mais tempo.

  1. Faça exercícios físicos regularmente, pois eles são fundamentais para manter a saúde dos ossos e músculos.
  1. Se mantenha dentro do peso ideal para sua altura, pois o excesso de peso exercesse maior pressão na coluna e em outros órgãos.
  1. Cuide da sua postura!
  1. Faça reposição de cálcio e também vitamina D. Como se sabe, esses nutrientes são cruciais para saúde óssea. Mas jamais tome medição sem prescrição médica.
  1. Não fume! As substâncias presentes no cigarro dificultam a passagem de sangue para os discos vertebrais, o que pode ocasionar fraqueza e fazer o surgimento de fraturas na coluna.

Conheça todas as condições Médicas tratadas

COE - St. Bela Vista

(62) 3089-0978

Ortotrauma - Coimbra

(62) 3291-3755

Teleconsulta

Doctoralia

Desenvolvido por QMIX Digital. Todos os direitos reservados.